terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Recibos Verdes - Ajuda?

Alguém me ajuda?
Não percebo nadinha sobre trabalho com recibos verdes, só sei (ou não...) aquilo que uns e outros vão dizendo.

Como é que funciona?
Compensa? Não tenho que depois devolver dinheiro à Seg. Social ou às Finanças?

É que já me disseram que compensa apenas no 1º ano porque não se faz descontos (?)...

Ainda é incerto, mas há uma pequena possibilidade de ter que trabalhar com este sistema, e gostava de saber mais, e acho que nada melhor do que o relato e o aconselhamento de quem tem experiência no assunto :)

Ajudam? Please...

Beijos/ A Mãe

6 comentários:

  1. Realmente só compensa o 1º ano. Pois lá está, não descontas... Isso com os recibos descontas mesmo bastante.
    Mas também depende do ordenado e tudo mais. Mas hoje em dia é outra coisa que está na moda, recibos verdes e estágios =S

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Pelo que sei existe isenção de contribuições durante um ano e nos seguintes depende do vencimento anual auferido (constante nos recibos). Pode adquiri-los e passá-los mesmo tendo celebrado um contrato por conta de outrém (ainda em vigor). Mas nunca pesquisei bem o assunto. Também já coloquei a hipótese de os adquirir para mim e enviei um email às finanças com todas as minhas questões, ao qual a resposta foi que me dirigisse a um balcão!!! :S Talvez o melhor e mais simples seja colocar todas as questões numa repartição de finanças.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela ajuda, falaste na questão do contrato, coisa de que nem me tinha lembrado :)
      Tenho mesmo que ir às finanças porque há dúvidas que só eles podem tirar.

      Beijos/ A Mãe

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Eu já trabalhei a recibos verdes e se puderes foge deles. Porque não tens muitas regalias e podes, literalmente, estar a pagar para trabalhar. Ou melhor: para te matares da saúde a trabalhar!

    No primeiro ano tudo bem, tenta ganhar bastante - foi o que me disseram. Mas isso raramente acontece. No segundo já pagas uma contribuição conforme o rendimento. Consulta na internet. No inicio é complicado fazer as contas mas depois até fazes com facilidade. O mínimo que na altura paguei à SS foi quase 160€ por mês, por um salário bruto anual inferior a 10.000€.

    É só fazer as contas e perceber o que está errado, né?

    E claro, ao ficares sem emprego, não tens direito a subsídio algum de desemprego nem tão pouco o Estado se preocupa muito em te auxiliar na busca de um caso recorras aos centros de desemprego (o real nome), pois como não constas como subsidiário não és prioritário.

    Na realidade acho que mesmo com contrato as coisas hoje em dia já andam muito más mas ainda assim não ter direito a férias, nem a subsídios de qualquer espécie ainda é algo que assusta muita gente.

    ResponderEliminar